sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

ASEMPT NOTÌCIAS

Procuradores federais evitam que servidora obtenha reajuste indevido de 13,23%






REFORMA DA PREVIDÊNCIA DE TEMER É IMPOSTA PELO MERCADO FINANCEIRO

Calcule a sua aposentadoria no ‘Aposentômetro’


AGU pede suspensão de ações que discutem pagamento de adicional de fronteira


RESPOSTAS AOS QUESTIONAMENTOS DA SECCIONAL SP DO SINASEMPU PELO ESCRITÓRIO JURÍDICO
Vide anexo. Acompanhe notícias no facebook  https://www.facebook.com/seccionalsp/?fref=ts

Senadores: Apoiem a criação de uma CPI para examinar as contas da Previdência

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

ASEMPT NOTÍCIAS - CNMP PROPÕE RESOLUÇÃO PARA CONTROLE DOS PAGAMENTOS DE PASSIVOS A MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO

ASEMPT NOTÍCIAS - CNMP PROPÕE RESOLUÇÃO PARA CONTROLE DOS PAGAMENTOS DE PASSIVOS A MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO

O Conselho Nacional do Ministério Público - CNMP propôs Resolução tombada sob o nº  1.00927/2016-79, cujo Requerente é o Conselheiro Valter Shuenquener de Araújo e cujo objetivo estabelece que no pagamento de valores passivos aos membros do Ministério Público, deve haver, nos contracheques, menção ao número da parcela e o total de parcelas, informação da rubrica para o pagamento e a metodologia de correção.
Vale lembrar que no ano passado a ASEMPT entrou com processo no CNMP para que aquele Conselho apurasse a Distribuição do orçamento e o Tratamento Desigual dado aos servidores, bem como o Pagamento de verbas indenizatórias a Membros do MPU sem a devida descrição na folha de pagamento (contracheque) do que se trata referidos pagamentos.

O processo está tombado sob o nº 1.00078/2016-26 e foi Arquivado pelo Conselheiro Relator, cuja Decisão ora anexamos.
A ASEMPT coloca-se a disposição dos Servidores através do e-mail: asemptdf@gmail.com
Filie-se.

ASEMPT NOTÍCIAS - PGT CONSULTA SERVIDORES SOBRE A POLÍTICA DE COMBATE AO ASSÉDIO MORAL NO MPT


ASEMPT NOTÍCIAS - PGT CONSULTA SERVIDORES SOBRE A POLÍTICA DE COMBATE AO ASSÉDIO MORAL NO MPT

O Exmo. Sr. Procurador Geral do Trabalho, Dr. Ronaldo Curado Fleury, encaminhou e-mail para todos os Servidores do MPT para que participem com sugestões sobre a Política Nacional de Prevenção ao Assédio Moral e Sexual e à Discriminação no âmbito do Ministério Público do Trabalho. 
Nesse sentido, encaminhou anexo a versão final da Portaria que pretende instituir referida Política.
O prazo de consulta ficará aberto até 04.03.2017 e as sugestões deverão ser encaminhadas ao endereço eletrônico do Chefe de Gabinete, Procurador do Trabalho RAFAEL DIAS MARQUES (rafael.marques@mpt.mp.br), com cópia para a Secretaria Operacional da PGT (pgt.operacional@mpt.mp.br) e para a Comissão que trabalha o tema (pgt.portaria497-lista@mpt.mp.br).

Conclamamos a todos os Servidores a participarem da Consulta encaminhando suas sugestões através dos e-mails informados.
A ASEMPT também está trabalhando para encaminhar suas propostas.

Vale lembrar que no ano passado a ASEMPT entrou com processo no CNMP para que aquele Conselho apurasse a prática de assédio moral e o número de Sindicâncias no âmbito do Ministério Público, bem como instituísse Resolução e Políticas de relações interpessoais, saúde e qualidade de vida para membros e servidores.

O processo está tombado sob o nº 1.00321/2016-24 e foi Arquivado pelo Conselheiro Relator, cuja Decisão ora anexamos.
A ASEMPT coloca-se a disposição dos Servidores através do e-mail: asemptdf@gmail.com
Filie-se.




DECISÃO DE ARQUIVAMENTO


PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS No 1.00321/2016-24
RELATOR: Conselheiro Valter Shuenquener de Araújo
REQUERENTE: Associação dos Servidores do Ministério Público do Trabalho e Militar
REQUERIDO: Ministério Público da União
E M E N T A
PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS. LEVANTAMENTO DE DADOS ESTATÍSTICOS SOBRE ASSÉDIO MORAL NO ÂMBITO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO. RESOLUÇÃO. INSTITUIÇÃO DE POLÍTICA INSTITUCIONAL DE RELAÇÕES INTERPESSOAIS, SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA PARA MEMBROS E SERVIDORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO. REMESSA DE CÓPIA À COMISSÃO DE DEFESA DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS. INADEQUAÇÃO DE PROCESSAMENTO POR MEIO DE PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS. ARQUIVAMENTO.
1. O assédio moral é conduta a ser combatida nas relações de trabalho, seja na esfera pública, seja na privada, porquanto pode configurar grave violação à dignidade da pessoa humana.
2. Dada a extrema relevância da temática e por se tratar de assunto cujo objeto se insere na gama de atribuições da Comissão de Defesa dos Direitos Fundamentais, é adequado o envio de cópia dos autos deste procedimento à referida comissão permanente, a fim de que, respeitados os limites de sua atuação e verificada a conveniência e oportunidade da medida, instaure o respectivo procedimento interno de comissão, nos moldes do art. 37, inciso XXI do RI/CNMP, e/ou proponha ao Plenário as medidas que considerar oportunas.
3. Tendo em vista a complexidade e as especificidades da temática – que envolve, inclusive, instituição de política institucional – é inadequada a implementação do que se pretende por meio de pedido
CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO
CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO
de providências, haja vista as limitações para se alcançar o resultado pretendido. Mostra-se mais apropriado o estudo da implementação da política institucional pretendida no âmbito da Comissão de Defesa dos Direitos Fundamentais, que possui atribuição específica e estrutura própria para tratar da matéria.
Arquivamento e envio de cópia dos autos à Comissão de Defesa dos Direitos Fundamentais.
2 Pedido de Providências no 1.00321/2016-24
CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO
3 Pedido de Providências no 1.00321/2016-24
D E C I S Ã O
Trata-se de pedido de providências instaurado a partir da provocação da
Associação dos Servidores do Ministério Público do Trabalho e Militar, em que pede o
levantamento de dados estatísticos relativos aos anos de 2015 e 2016 no âmbito do Ministério
Público da União, de modo a subsidiar proposta de Resolução que estabeleça política de
relações interpessoais, saúde e qualidade de vida para membros e servidores do Ministério
Público da União.
A Associação pede que sejam levantados, no âmbito do Ministério Público da
União, os seguintes dados, relativos aos anos de 2015 e 2016:
(i) número de sindicâncias e procedimentos administrativos instaurados em face
de servidores do MPU, com descriminação do tema e resultado final; e
(ii) número de adoecimentos de servidores do MPU de forma geral e específica
relacionadas a doenças derivadas da atividade laboral.
É o relatório. DECIDO.
Ab initio, importante registrar que compete a este Conselho Nacional do
Ministério Público, por ser órgão de controle e integração, zelar pela autonomia funcional e
administrativa do Ministério Público, podendo expedir atos regulamentares, no âmbito de sua
competência, ou recomendar providências (CRFB/88, art. 130-A, § 2o, caput e inciso I).
A missão constitucional deste Conselho Nacional envolve, dentre outras
atribuições, o fomento de políticas institucionais voltadas a uma atuação do Ministério
Público convergente com as regras e princípios encartados no tecido constitucional.
Nesse sentido, foram criadas, dentro do Conselho, Comissões Permanentes,
compostas por seus membros, para estudo de temas e de atividades específicas relacionadas às
suas áreas de atuação (art. 30 do RI/CNMP), dentre as quais existe, atualmente, a Comissão
de Defesa dos Direitos Fundamentais (art. 31, VII do RI/CNMP).
CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO
Instituída pela Emenda Regimental no 6, a Comissão de Defesa dos Direitos
Fundamentais tem como objetivo contribuir para o fortalecimento do Ministério Público
brasileiro, estimulando o exercício das atribuições institucionais atinentes à defesa dos
direitos fundamentais difusos, coletivos e sociais, em coerência com as previsões
constitucionais e legais que conferem aos órgãos do Ministério Público brasileiro o poder-
dever de atuar como agentes de transformação da realidade social.
É consabido que o assédio moral é conduta a ser combatida nas relações de
trabalho, seja na esfera pública, seja na privada, porquanto pode configurar grave violação à
dignidade da pessoa humana.
Dada a extrema relevância da temática e por se tratar de assunto, cujo objeto se
insere na gama de atribuições da Comissão de Defesa dos Direitos Fundamentais, é adequado
o envio de cópia dos autos deste procedimento à referida comissão permanente, a fim de que,
respeitados os limites de sua atuação e verificada a conveniência e oportunidade da medida,
instaure o respectivo procedimento interno de comissão, nos moldes do art. 37, inciso XXI do
RI/CNMP, e/ou proponha ao Plenário as medidas que considerar oportunas.
Por outro lado, tendo em vista a complexidade e as especificidades da temática –
que envolve, inclusive, instituição de política institucional – é inadequada a implementação
do que se pretende por meio de pedido de providências, haja vista as limitações para se
alcançar o resultado pretendido por meio desta Relatoria. Mostra-se mais adequado, portanto,
o estudo da implementação da política institucional pretendida no âmbito da Comissão de
Defesa dos Direitos Fundamentais, que possui atribuição específica e estrutura própria para
tratar da matéria.
Vale, ainda, registrar que o pedido de levantamento de dados estatísticos relativos
a números de sindicâncias e procedimentos disciplinares, bem como acerca do número de
servidores que foram acometidos por doenças de natureza laboral, podem ser obtidos
diretamente de cada órgão do Ministério Público com base na Lei de Acesso à Informação
(Lei no 12.527/2011). Não se justifica, pois, a atuação deste Conselho para tanto.
4 Pedido de Providências no 1.00321/2016-24 CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO
Ex positis, dada a complexidade e inconveniência de adoção de medidas
diretamente por esta Relatoria acerca do pedido formulado, determino o ARQUIVAMENTO
do presente pedido de providências, nos termos do art. 43, IX, b do RI/CNMP.
Determino, ainda, a extração de cópia dos autos deste procedimento à Comissão
de Defesa dos Direitos Fundamentais, a fim de que, respeitados os limites de sua atuação e
verificada a conveniência e oportunidade da medida, instaure, se assim entender, o respectivo
procedimento interno de comissão, nos moldes do art. 37, inciso XXI do RI/CNMP, e/ou
proponha ao Plenário as medidas que considerar oportunas.
Intime-se. Publique-se.
Brasília-DF, 28 de junho de 2016.
VALTER SHUENQUENER DE ARAÚJO
Conselheiro Relator
5 Pedido de Providências no 1.00321/2016-24

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

ASEMPT NOTICIAS - Resumo das ultimas notícias

NOTÍCIAS DE INTERESSE DOS TRABALHADORES

Projeto define quais pagamentos serão submetidos ao teto do funcionalismo


Plenário pode votar pedido de urgência para regulamentação de greve no funcionalismo


Temer tenta urgência no Senado para votar restrições à greve no setor público


15 de março: Dia Nacional de greves, paralisações e mobilizações

ANFIP e Frente definem estratégias contra a PEC 287/16


Sem regra de transição servidor vai se aposentar aos 75 anos


Deputados questionam no STF tramitação da PEC da Reforma da Previdência


Deputados pedem ao Supremo suspensão da tramitação da reforma da Previdência


Representados pelos advogados do Sinjufego, deputados pedem ao STF que anule a PEC 287/2016


Ato organizado pelo SINDJUFE-BA mobiliza sociedade civil e convoca unidade para barrar reformas


Sem-teto acampam na Paulista por moradia e contra reformas


MTST monta acampamento em SP contra “distorção” do Minha Casa Minha Vida


Previdência: PEC reduz absurdamente pensão por morte e aposentadoria por invalidez

Reforma da Previdência ignora R$ 426 bilhões devidos por empresas (Repórter Brasil)


Representantes dos servidores contestam o déficit da Previdência em audiência

Reportagem especial detalha regras para a aposentadoria especial e de servidor público


Em entrevista à TV Gênesis presidente do Fonacate afirma que reforma da Previdência é desonesta

Para metalúrgicos, governo mente para emplacar reforma da Previdência


Comissões definem cronograma de debate sobre contrarreformas

Comissão Especial» Presidente do Fonacate cobra transparência nos dados da Previdência
CONAMP lança cartilha que esclarece a reforma da Previdência

ANFIP e Dieese lançam publicações contestando a reforma da Previdência


ANFIP treina "tropa de choque" para combater reforma da Previdência


PEC 287/16: Confira as apresentações das audiências públicas


Reforma Trabalhista: governo, Judiciário e Ministério Público têm posições diferentes


Mais de 10% dos PMs do ES vão responder a inquéritos

Polícia Militar publicou nesta sexta-feira (17) os nomes de 1.151 policiais.
Militares ficaram fora das ruas por causa de protesto de mulheres


Médico garante desaverbação da licença-prêmio


SITRAEMG propõe ação contra PL que veda a conversão de licença-prêmio em pecúnia

O PL 6726/16 foi aprovado no Senado e tramita na Câmara dos Deputados. Caso aprovado, prejudicará servidores que não gozaram do direito.

Governo envia ao Congresso projeto para acabar com multa adicional de FGTS


Se não houver prejuízo jurisdicional, juiz pode tirar licença paga



NOTÍCIAS GERAIS

Será o fim da automaticidade do aumento salarial dos Juízes?


PSOL aciona STF contra decisão que manteve Moreira Franco como ministro


O governo Temer prepara MP para a venda de terras a estrangeiros


"A conjuntura da política indigenista se afunila para um extermínio total"


Acusações contra a cúpula da Câmara vão de corrupção a tentativa de assassinato e estupro


Justiça bloqueia R$ 10,4 milhões de senador e filho deputado


Nova fase da Lava Jato mira comando do PMDB no setor elétrico


Ao culpar STF por falta de condenações, pesquisa faz manipulação, diz Gilmar


Senado atende a STF e devolve 10 Medidas do MPF à Câmara dos Deputados


Estado deve indenizar presos submetidos a situações degradantes, decide STF


Presos em celas superlotadas devem ser indenizados, decide STF


Para Barroso, STF pode restringir foro especial antes de emenda constitucional


Após apresentar PEC da impunidade, Jucá é recebido aos gritos de “ladrão” e “pilantra” em aeroporto


Jucá faz manobra de guerrilha contra Lava-Jato


MEC paga R$ 65 mil a youtubers para falar bem da reforma


Temer sanciona mudanças no ensino médio; disciplinas terão nova organização


Reforma do ensino médio é publicada no Diário Oficial; veja a íntegra da nova lei


Estado, sonegação e corrupção


Psol pede impeachment de Pezão no Rio