sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Oficio encaminhado à Rede Globo pela Asempt

Anexo, oficio encaminhado à Rede Globo pela Asempt
Publicada em 17/1/2016, após comentários de inúmeros servidores e oficio encaminhado, matéria é retificada em 27/01. Segue link abaixo..




Of. Sec 156/2016                                                                                                   Brasilia, 21 de janeiro de 2016.

Ao  
Ilmo. Sr.
DIRETOR-RESPONSÁVEL PELO JORNALISMO
DA REDE GLOBO/G1



Assunto: REQUER CORREÇÃO DE INFORMAÇÕES EM MATÉRIA


Senhor Diretor,


A Associação dos Servidores do Ministério Público do Trabalho e Militar – ASEMPT, representante dos Servidores do Ministério Público da União, vem, perante esta empresa de Comunicação e Informação, rebater/esclarecer informações veiculadas na Matéria intitulada “DILMA LIBERA R$ 419 MILHÕES PARA ÓRGÃOS DO LEGISLATIVO E DO JUDICIÁRIO” (http://g1.globo.com/politica/noticia/2016/01/dilma-libera-r-419-mi-para-orgaos-do-legislativo-e-do-judiciario.html), publicada no portal G1, em 19/01/2016, visto que ali é informado que a Presidente Dilma liberou R$419 milhões para auxilio-moradia de Servidores.

Esta Associação vem esclarecer que os recursos liberados são para auxilio-moradia a serem pagos a Parlamentares Federais, Juízes e Procuradores, mesmo àqueles que possuem moradia própria. Para tanto lista abaixo links de diversas matérias sobre o assunto.

Ministros do STF cobram julgamento de auxílio-moradia para juízes

CNJ aprova pagamento de auxílio-moradia de R$ 4,3 mil para juízes


“Sou a Geni da vez”, diz juiz que recusou o auxílio-moradia

Desembargador defende auxílio-moradia para ir a Miami comprar terno e para não ter depressão


Judiciário recebe R$ 301 milhões para complementar auxílio-moradia


Congresso em Foco: AGU pede ao STF suspensão de auxílio-moradia de magistrados



Auxílio-moradia dos juízes custará R$ 863 milhões por ano







O auxílio-moradia do MPU ou “o que os servidores têm a ver com isso?”


MPU determina corte de gastos para pagar auxílio-moradia e revolta servidores no RS





Desta forma, após todo o exposto, requer, nos termos da lei, que essa empresa de Comunicação e Informação faça a retificação da matéria veiculada, dando a devida publicidade.


Atenciosamente,


   
ADELINE CECÍLIA CASTILHO
Presidente

Nenhum comentário:

Postar um comentário